Imprimir este post Imprimir este post

O VEREADOR MONTORO X A COMPANHIA DE GÁS

 

               Há poucos dias tive a oportunidade de referir-me, em REMINISCÊNCIAS, à ação firme com que o Departamento de Serviços Municipais, da Prefeitura da Capital, controlava as concessionárias de serviços públicos, relatando episódio singular de embate entre o prefeito Jânio Quadros e a Companhia Telefônica Brasileira. Hoje recordo um outro episódio, cuja figura central foi o vereador André Franco Montoro, em 1952.

               Às vésperas do Natal daquele ano, segundo o relato de Montoro em “Memórias em Linha Reta”, mas também de acordo com referência feita por meu pai, o engº Plínio A. Branco, que por anos a fio foi o responsável pelo controle das Concessões Municipais, os empregados da Companhia de Gás de São Paulo pressionavam a Câmara Municipal para que fosse aquela Companhia autorizada a elevar as tarifas de gás de molde a poder cobrir o abono salarial que eles pretendiam. Reuniu-se, então, a Comissão de Serviços Públicos da Câmara, sob forte pressão dos empregados em favor do aumento tarifário e, conseqüentemente, da concessão do abono.

               Montoro logo percebeu que os pleitos envolviam conflitos de competência, pois era da Prefeitura a responsabilidade por tais negociações e pediu vistas do processo, preocupando sobremaneira os trabalhadores. Ato contínuo, procurou meu pai, após aconselhar-se com alguns dos mais eminentes juristas da municipalidade, que rapidamente levantou os dados, constatando que, um ano antes, a Cia. recebera semelhante reajuste de tarifas para cobrir idêntico abono salarial. Só que, dada a redução concomitante do preço internacional do carvão – insumo que influía nas tarifas de gás – a elevação tarifária do ano anterior fora excessiva, havendo portanto recursos já arrecadados para fazer frente ao abono dos empregados.

               Montoro exultou com as informações e rapidamente apresentou projeto concedendo o abono, autorizando a Companhia de Gás a utilizar o excesso tarifário para tal fim e, por derradeiro, propondo a redução das tarifas de gás. O projeto foi aprovado por unanimidade, pois já estava apoiado em dados seguros do Departamento dos Serviços Municipais, controlador das concessões.

               Quando conheci Montoro, em 1982, (anos antes eu visitara, quando candidato a Prefeito, levado por Fernando Gasparian, mas sem conseqüências práticas) ele lembrou-se de meu pai e me contou essa história. E me pediu que o ajudasse na campanha a Governador com propostas na área dos serviços públicos e, em particular, dos transportes. Em 1984 vim a ser seu Secretário de Transportes, a mais rica experiência da minha vida no campo político.

 

Adriano M. Branco

 


 

 

 

Sobre Adriano Branco

Eng. Adriano Murgel Branco Adriano Murgel Branco, paulistano de 76 anos, é administrador e engenheiro eletricista formado por uma das melhores escolas de engenharia do país - a Universidade Mackenzie. Branco, foi consultor no Brasil e em Moçambique, professor universitário, ocupou inúmeros cargos públicos, entre eles o de secretário da Habitação e secretário dos Transportes do Estado de São Paulo, nos anos 80. Ocupou também, cargos privados como o de diretor da Coplan, da Trol S.A., da TCL, da Caio entre outras. Ministrou palestras no Brasil,México,Colômbia,Venezuela,Equador, Paraguai, Argentina, Uruguai, Peru e Chile sobre transporte, segurança rodoviária e habitação. É autor de mais de duas centenas de artigos em jornais e revistas, publicadas até na Inglaterra e Alemanha. Em 1972, foi publicada sua primeira monografia sobre Acidentes Rodoviários; em 1975 é publicada a Normatização Brasileira de Defesa Rodoviárias. Teve também três de suas monografias publicadas em 1978: Trólebus,Tendências Modernas dos transportes Coletivos Pneumáticos e Transportes Urbanos por Trólebus; nos anos oitenta foram publicadas: Uma visão Sistêmica do Transporte Urbano, O Transporte Urbano no Brasil e A Prevenção dos Recursos Hídricos no Estado de São Paulo. Seus livros mais ressentem são Segurança Rodoviária, O Financiamento de Obras e de Serviços Públicos, em parceria com o Adilson Abreu Dallari, e Desenvolvimento Sustentável na Gestão de Serviços Públicos, em parceria com o economista Márcio Henrique Bernardes Martins.

Your email is never shared.
Required fields are marked *




Gingerpages